quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Resenha - Antes Que Eu Vá

“Algumas coisas se tornam lindas quando você realmente olha.”

Quando um livro mexe com os nossos sentimentos de várias formas o que queremos fazer é dividir isso com alguém, ou melhor com todo mundo. Eu já dividi com todos os que eu pude - mesmo eles não querendo rsrs - mas ainda parece que não consegui expressar o quanto essa leitura é tocante.

Foto: Dani Cruz


Antes que eu vá de Lauren Oliver, conta a história de Samantha Kingstonuma uma adolescente que aparentemente tem tudo, pais e uma irmã que ela não dá valor, amigas inseparáveis, o namorado mais incrível do mundo e o principal para ela a popularidade. Sam - como é conhecida - só não esperava que poderia morrer e perder isso tudo tão rapidamente e de uma maneira tão trágica, o que ela também não esperava era poder reviver o ultimo dia de sua vida varias vezes.

Quando iniciei esse livro já sabia do que se tratava e já sabia o que aconteceria no final, mas ainda assim ele me surpreendeu. Em momento algum me identifiquei com Sam, para ser bem sincera até a metade do livro eu a odiei. Sei que lá fora as atitudes como as de Sam e seu circulo de amizade é comum, os maus tratos e humilhações entres os jovens são expostos na mídia e todos hoje sabemos o que é o bullying e como isso afeta negativamente a vida de muitos, porém essa nunca foi a minha realidade e em diversos momentos me peguei pensando "Quanta bobagem meu Deus!", e de verdade estava achando a leitura chata. Como assim a personagem principal teve seus momentos de humilhações quando mais nova e agora agia como uma VACA (palavras dos próprios personagens)? 

"Sei que alguns de vocês devem estar pensando que talvez eu mereça. (…) Mas antes que comece a me acusar, permita-me fazer uma pergunta: O que fiz foi realmente tão ruim? Tão ruim que eu merecia morrer por isso? Tão ruim que eu merecia morrer assim? O que fiz foi realmente tão pior do que o que todo mundo faz? É realmente muito pior do que o que você faz? Pense a respeito."
  
E foi então que comecei a pensar a respeito e me deixar levar pela leitura, ainda não me identifico com a protagonista é claro, mas passei a entende-la. Porque é do ser humano escolher o caminho mais fácil, e se alguém deu a Sam a oportunidade de deixar de lado seu passado vergonhoso porque ela não agarraria essa chance? 

Depois de reviver o seu último dia algumas vezes, Sam entende que deixou de valorizar as coisas mais preciosas da vida e que talvez essas pequenas coisas poderiam ter mudado o rumo da sua história. Foi nesse momento que comecei a me apaixonar por esse livro, a esperança que Sam cria em mudar suas atitudes para mudar o seu futuro é comovente e angustiante.
  
"Talvez você possa se dar ao luxo de esperar. Talvez para você haja um amanhã. Talvez para você haja mil amanhãs, ou três mil, ou dez, tanto tempo que você pode se banhar nele, girar, deixar correr como moedas entre os seus dedos. Tanto tempo que você pode desperdiçar. Mas para alguns de nós — só existe hoje. E a verdade é que nunca se sabe."

Quando comecei a ler os últimos capítulos lá estava eu chorando e sofrendo com os personagens, e ao conhecer um pouco melhor Kent eu fiquei ainda mais sentimental. Kent é um personagem tão simples e cheio de verdade que até agora quando penso nele sinto um aperto no peito e uma vontade de chorar. Ele é doce com Sam o tempo todo e mesmo quando ela é cruel ele está por perto, sempre com um sorriso no rosto e sinceramente feliz. Uma outra personagem que nos emociona muito é Juliet, mas não consigo falar sobre ela sem soltar algum Spoiler.

"Você não pode fugir outra vez. - Ele estica o braço e põe as mãos gentilmente sobre meus ombros, mas seu toque faz uma corrente de calor e energia passar por mim. - Está entendendo? Você não pode fazer essas coisas.
O jeito como ele me olha faz eu me sentir fraca. As lagrimas ameaçam vir novamente.
- Nunca quis machucá-lo. - resmungo."

Foto: Dani Cruz
Esse livro é magnifico e para mim deveria ser leitura obrigatória nas escolas, talvez muita gente não goste ou apenas o achem legal, mas Lauren Oliver foi a melhor surpresa desse ano (2013) com sua escrita objetiva e ao mesmo tempo sensível ela me deixou marcada para sempre com essa história

PS: Achei que esse trecho da música da Ke$ha "Die Young" combinou um pouquinho com esse livro:"So while you're here in my arms, Let's make the most of the night, Like we're gonna die young"

Skoob: ★★★★★

2 comentários:

  1. Meu Deus Dani! Você e suas resenhas comoventes! Acredita que eu chorei lendo o que você escreveu? Pois é verdade! Acho que ando sentimental por causa de "Se Eu Ficar" da Gayle Forman, me lembra um pouco esse livro. Amei sua resenha, tão simples e tocante! Na verdade foi a melhor que li até agora sobre esse livro. Ficou linda viu! Eu também costumo falar sem parar sobre os livros que me tocam, chego a ser até um pouco irritante! rsrsrs Mas eu adoro isso!! Ah, eu te indiquei para uma TAg lá no blog! A TAG: qual é o livro? Faz, é super legal! Bjokas e cada vez mais sucesso e boas surpresas literárias! ;)
    entreumlivroe-outro.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anya,

      Fico extremamente feliz por você ter gostado tanto assim da resenha, esse livro mexe com a gente, um livro que todos deveriam ler! Vale muito a pena!

      Beijos e obrigada pela visita!
      Dani Cruz

      Excluir